Justiça

MP e entidades discutem liberdade de informação e agressões contra profissionais da mídia

Ministério Público e entidades de classe da imprensa se reuniram na tarde dessa sexta-feira (10), para discutir liberdade de informação e agressões sofridas pelos profissionais de imprensa no ano de 2017, a reunião contou com a presença do procurador-geral de justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, e dos presidentes do Sindicatos dos Jornalistas e dos Radialistas de Alagoas e da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Alagoas, Izaías Barbosa, Paulo Guedes e Aílton Cruz, respectivamente.

No encontro, as entidades relataram à chefia da instituição as agressões sofridas pelos profissionais da imprensa durante este ano e pediram o apoio do Ministério Público para garantir a liberdade de atuação. O MPE/AL prometeu apoio e um evento será realizado para discutir essa temática.

Como primeira medida, ficou acordado que os sindicatos vão formalizar uma representação ao Ministério Público, detalhando todos os casos mais recentes, com os nomes das vítimas e dos agressores, local, hora e data do fato e, claro, as circunstâncias em que ele se deu. Isso já deverá acontecer na próxima semana. “Com o documento em mãos, vou encaminhar a demanda para os promotores responsáveis e pedir uma atenção especial ao caso. Não podemos permitir que, vivendo no século XXI, a liberdade de imprensa possa ser ferida ou ameaçada. O Ministério Público sabe da importância do jornalismo para que a população tenha conhecimento da história e não permitirá que esse direito a informação seja violado”, declarou o procurador-geral de justiça, Alfredo Gaspar.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, Izaías Barbosa, agradeceu a acolhida do Ministério Público na defesa dos profissionais da imprensa. “O MP é uma instituição forte, respeitada pela população e pelas autoridades constituídas. Viemos aqui porque sabemos do seu papel constitucional de resguardar direitos, dentre eles, os de liberdade de expressão e de informação. Vamos protocolar a representação e aguardar o encaminhamento que será dado. É muito importante que tenhamos a responsabilização de quem agrediu a qualquer colega durante o exercício da sua atividade profissional”, disse o sindicalista.

Evento para discutir o tema

Também ficou pactuado que um evento será realizado no início do próximo ano para discutir o respeito a liberdade de imprensa. Ele será promovido em parceria pelo Ministério Público e as entidades de classe. “Esse será um momento em que a categoria vai se sentir amparada. Essa injeção de coragem, sem dúvida alguma, será bastante significativa”, comentou Ailton Cruz.

“As ameaças não podem nos calar. Temos o compromisso social de informar, esclarecer e dar subsídios para que as pessoas possam discernir sobre os fatos. E é assim que queremos continuar fazendo”, defendeu Paulo Guedes.

“Vamos tratar da importância do protagonismo da imprensa na busca pelo respeito aos direitos sociais e a cidadania, falar sobre os tipos de crime dos quais a categoria pode ser vítima e as penalidades previstas para cada um deles, como ela deve proceder durante uma ameaça ou agressão e sobre a legislação que garante o exercício profissional desse público. Será uma discussão bastante enriquecedora para todos nós”, acrescentou Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

O evento, que está sendo formatado para acontecer em dois turnos, deverá ser encerrado com a participação de um jornalista de renome nacional.

O jornalista Paulo Omena, que compõe a diretoria do Sindicato dos Jornalistas, também participou da reunião.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *